Sair
Calcule o venturi do seu carburador

Primeiramente, uma rápida explicação de como funciona um carburador. Para produzir potência o motor queima uma mistura de ar e combustível em uma proporção ajustada pelo carburador. Quando essa mistura tem mais comustível que aquela considerada 'normal', diz-se que a mistura é rica, o contrário é uma mistura pobre.
Para promover essa mistura, o corpo do carburador tem um estrangulamento após a boca de entrada - o venturi. Nessa área há uma aceleração aerodinâmica e conseqüente aumento da queda de pressão atmosférica e o combustível é 'sugado' por esse vácuo parcial e se mistura ao ar.
Dentro de determinados limites, misturas ricas produzem mais potência, misturas pobres menor consumo. Ultrapassados esses limites, misturas muito ricas sujam a vela, reduzem a potência e fazem com que o motor funcione com dificuldade. Misturas muito pobres também reduzem a potência e tornam o funcionamento do motor difícil. Mais importante: superaquecem o motor até o limite de sua quebra.
Determinar o carburador ideal para seu motor não é uma tarefa simples. Nós todos temos a tendência de achar que maior é melhor. Se um carburador um pouco maior que o original faz o motor andar mais, outro maior ainda será melhor, certo? ERRADO!!!
O melhor carburador é aquele com o qual o motor tem uma transição de baixa para média e alta sem engasgos e falhas e performance adequada nas altas rotações.
Isto posto, e desconsiderado o consumo como uma exigência a ser levada em conta, resta a facilidade de utilização. Em uma corrida o motor precisa funcionar bem em diversas faixas de rotação - nas saídas de curva e finais de reta, por exemplo. Lembre-se que o motor tem uma capacidade limitada de queimar combustível e produzir potência. Um carburador que seja capaz de fornecer mais mistura do que o motor pode queimar estará, sempre, trabalhando aquém de sua capacidade - e o que é pior, por ter um venturi maior que o necessário a mistura ar/combustível para aquele motor não se faz da forma correta: o motor engasga e só funciona bem nas rotações mais altas.
Diâmetro do venturi:
D = [K x Raiz quadrada(C x n)]
Onde:
D=diâmetro do venturi, em milímetros (valor que querenos calcular)
K= constante 0.65
C=cilindrada do motor, em centímetros cúbicos
n=rotação do motor no regime máximo dividido por 1.000 ( você pode também usar aqui o regime mais freqüente em uma determinada pista e compara-lo com o regime máximo do motor).
Não se esqueça que o valor obtido aqui é do venturi em seu diâmetro total. Se o seu motor usa dupla carburação o valor encontrado deve ser divido por dois para se ter o venturi de cada corpo. Nesse caso os valores obtidos para cada corpo devem ainda serem trabalhados para se conseguir o desempenho ideal. Deve-se portanto, ter a media encontrada como ponto de partida para o retrabalho dos corpos, aumentando-se esse diâmero gradativamente conforme a necessidade de cada pista. Lembre-se que pistas que requerem regimes mais altos por mais tempo necessitam de venturis maiores, e pistas em que os motores trabalham em regimes mais baixos necesitam de venturis menores.



<< Voltar